8 dicas de gestão financeira empresarial para um 2021 melhor

Apesar de a pandemia ainda estar em curso, não é momento de ficar parado, afinal ninguém quer perder o seu negócio. Dessa forma, é necessário um planejamento financeiro visando a continuidade das atividades empresariais.

Postado por Equipe tryideas, 18-03-2021 - 03:58

8 dicas de gestão financeira empresarial para um 2021 melhor

Gestão financeira empresarial Gestão financeira empresarial 1

É visível que o ano de 2020 não foi fácil para as empresas ao redor do mundo, e aqui no Brasil isso não foi diferente. Todos fomos pegos de surpresa com a pandemia da COVID-19, situação que prejudicou não somente a saúde da população, mas também a parte econômica das instituições.

Pois bem, 2021 está aí, e há muito a ser feito pelos empreendedores. Apesar de a pandemia ainda estar em curso, não é momento de ficar parado, afinal ninguém quer perder o seu negócio. Dessa forma, é necessário um planejamento financeiro visando a continuidade das atividades empresariais.

Pensando nisso, foi que preparamos essas 08 dicas para você enfrentar esse desafio que é gerir a parte financeira, a qual, embora seja um tanto difícil, precisa ser efetuada a fim de dar sequência às atividades comerciais. Ficou curioso? Então, continue a leitura!

1. Tenha em mãos a situação fiscal da empresa

O primeiro passo de qualquer planejamento é saber a real situação a que a instituição se encontra. 
Com isso, é necessário fazer um levantamento de todas as pendências financeiras que a organização possui, para que em seguida, sejam estabelecidas a melhor forma de zerar (ou pelo menos reduzir) esses débitos.
Assim sendo, é interessante pensar em soluções a curto prazo, como a redução de despesas mais urgentes. Agindo desse modo, é possível ter ao menos, a liquidação das despesas essenciais, o que já melhora bastante a situação do negócio.


2. Tenha um planejamento estratégico visando a gestão fiscal

Após averiguar a real situação do seu estabelecimento, coloque no papel as metas da instituição para o ano vigente. Para isso, utilize um estudo de mercado para conhecer quais as estratégias estão dando certo no setor ao qual sua organização pertence.
Em seguida, realizar uma autoavaliação também é super válido, tendo em vista que ninguém melhor que o gestor para mensurar os resultados obtidos no ano passado e o que precisa ser melhorado neste novo ano que está começando.


3. Estabeleça diferentes cenários financeiros

É crucial que os gestores elaborem diversos cenários para o ano que se iniciou. E isso inclui desde cenários positivos até os negativos. Como a pandemia ainda não acabou, é fundamental que sejam estabelecidos diferentes métodos de enfrentamento aos diferentes contextos que venham a existir.
Dessa forma, ao priorizar metas diferentes, o administrador consegue manejar melhor as variadas circunstâncias que o empreendimento pode vir a “bater de frente”.


4. Guarde capital para emergências

Seja qual for o tamanho do negócio, a pandemia mostrou que nada é mais importante do que contar com uma reserva de emergência. Ainda que não sejam grandes valores, esse capital pode ser a salvação para momentos de crises, como este que enfrentamos desde março de 2020.
Agindo desta forma, você evita deixar sua empresa no vermelho e com isso consegue planejar melhor os próximos objetivos. 


5. Fique ligado no fluxo de caixa

Qualquer instituição financeira que não se prepara para crises tende a ter mais prejuízos, inclusive a própria baixa do estabelecimento pelos órgãos fiscais. 
Para evitar uma situação tão grave como esta - ou mesmo garantir os funcionários na ativa - é importante ter um controle ágil a respeito de todos os valores em caixa, tanto as entradas bem como as saídas. 
Até porque, uma empresa que não presta atenção à sua situação financeira, não tem uma base sólida para recorrer em caso de emergências. Logo, não dá para contar simplesmente com a sorte e esperar que um milagre aconteça. É preciso planejamento, reuniões, revisão de metas, dentre outros aspectos inerentes à função administrativa.
E, apesar de aparecer uma obrigação para os empresários, o planejamento financeiro deve ser uma das principais metas de um estabelecimento, levando em conta que esse fator representa um amparo em situações imprevistas. 


6. Acompanhe qualquer movimentação de perto

Não basta planejar diversas ações e depois deixá-las a cargo dos setores, sem acompanhamento. É óbvio que não se trata de desconfiança ou de uma mera fiscalização, mas é imprescindível que todo bom gestor acompanhe de perto tudo o que ocorre na sua organização.
Portanto, é vital que o dono do negócio analise, além do fluxo de caixa, a tomada de decisões pelos membros da equipe, uma vez que um simples ato pode influenciar no desempenho de diversos outros setores. Daí a importância de uma comunicação clara e eficiente entre os membros da organização.
Com o conhecimento das ações tomadas na empresa, é bem mais fácil para o empreendedor estipular formas de prevenir perdas de capital, sem contar que medidas de cunho emergencial podem ser melhor construídas, caso necessário. 


7. Alie suas metas com o planejamento anual

Tendo definido as metas para o ano em questão, procure fazer uma lista de todas as despesas da instituição, desde as fixas até aquelas que variam ao longo do período.
É necessário fazer uma divisão de todas as entradas, dívidas e aplicações financeiras. Lembre-se também de deslocar cada tipo de despesa para o departamento/setor correspondente, pois isso evita confusões no momento dos cálculos bem como previne surpresas tributárias. 


8. Implemente ferramentas tecnológicas no seu negócio

Tendo em vista que a tecnologia está ganhando cada vez mais força na sociedade, as empresas não podem mais ficar de fora dos avanços tecnológicos, os quais podem ser utilizados na gestão financeira das instituições.
Além de economizar tempo e dinheiro, automatizar tarefas por meio de softwares especializados favorece a produtividade da equipe, através da organização da rotina empresarial.
Sendo assim, não é nada inovador continuar com aquelas inúmeras pilhas de pastas e papéis, sendo que um sistema de gestão inteligente pode facilitar essas tarefas.

 

Conclusão

Como vimos, tomar as rédeas de uma empresa não é uma tarefa tão simples, ainda mais em tempos como o que vivenciamos agora, dada a pandemia do novo Coronavírus.

Todavia, nesse momento é hora de ligar (ou reacender) a chama do empreendedorismo e lançar mão de todas as ferramentas possíveis, no intuito de manter o negócio de pé, e principalmente, sem tantas perdas financeiras.

Sendo assim, com as dicas de hoje pretendemos que você, enquanto gestor, consiga dar um rumo assertivo nas decisões do seu empreendimento, de forma a recuperar a lucratividade. 
Desejamos sucesso!